Quem procura por um trabalho de programador(a) home office também busca o que está por trás desse tipo de atuação. Até porque muito se fala sobre os ganhos em qualidade de vida e até em produtividade à medida que se vive (e paga os boletos) assim. Mas será que você conhece a fundo uma rotina como esta?

Um trabalho de programador(a) home office, principalmente quando não vinculado a apenas uma empresa, oferece a possibilidade de as pessoas criarem o seu próprio dia a dia. Elas não ficam mais presas ou viciadas à rotina, muitas vezes burocrática, imposta por determinada organização.

No lugar, surge um modus operandi que se encaixa com você, seu propósito e sua visão de mundo.

Leia também: Como ser freelancer no desenvolvimento de software: um passo a passo

Na comunidade da Impulso Network, onde é possível encontrar um trabalho de programador(a) home office, já ouvimos de muitas pessoas que o tempo que elas gastavam no trânsito se deslocando até o escritório foi convertido em treinos na academia ou em participação em eventos de TI. Toda essa liberdade, no entanto, deve vir acompanhada de responsabilidade. É preciso planejar-se para dar conta de entregar todas as tarefas impostas pelos projetos assumidos.

Tem quem anote tudo em uma agenda de papel ou em aplicativos como o Trello e o Evernote. Há também aqueles que fazem planejamentos diários em detrimentos aos semanais. Abaixo, destacamos 10 verdades sobre a rotina de trabalho de um(a) programador(a) home office, que trazem questões como essas, além de dicas de como se adaptar ao estilo. Veja:

Fatos sobre o trabalho de programador(a) home office

1. Os ganhos em qualidade de vida são consideráveis

Em um trabalho de programador(a) home office,não é preciso enfrentar o trânsito, bater ponto na entrada e na saída do escritório e tampouco distrair-se com ambientes de trabalho pouco produtivos. Você faz os seus horários e trabalha quando e como quiser, desde que cumpra as deadlines impostas em cada projeto. A flexibilidade associada a esse modelo de atuação está dentro do que acreditamos ser o futuro do trabalho.

trabalho de programador(a) home office

2. É preciso estipular um horário de trabalho

Tudo pode ir por água abaixo se você não controlar as rédeas da sua jornada de trabalho. Quando se trabalha de casa, é muito fácil confundir obrigação doméstica com profissional, emendar uma coisa na outra e não parar de trabalhar nunca mais. Mas você não quer ser workaholic, não é mesmo? Portanto, trate de fixar horários para iniciar e encerrar as funções, levando em consideração o estilo de vida que você procura e o propósito que tem no mundo.

Leia também: Tudo o que você precisa saber para trabalhar online para empresas de TI

3. É fundamental ter organização e saber listar prioridades

Classificar as tarefas por ordem de prioridade é de extrema importância quando se trabalha remoto. Em alguns projetos, haverá uma pessoa responsável pela gestão que irá indicar as prioridades, mas em outros não. O ideal é que você tenha ou desenvolva a autonomia necessária para atacar o que é mais relevante em dado momento, e também saber que o nível de urgência pode mudar de uma hora para outra.

4. Você provavelmente desenvolverá uma técnica para aumentar sua produtividade

Com o tempo, você vai perceber a forma com que trabalha melhor de casa e, até mesmo, criar um método próprio. Tudo para que alcance a máxima produtividade, que por si só já pode ser maior no trabalho remoto. Timebox e Pomodoro são duas das técnicas mais populares entre quem trabalha com projetos de tecnologia, além das próprias metodologias ágeis.

5. A comunicação vale ouro

Não é nenhuma novidade que o trabalho de programador(a) home office só é possível graças à internet. Também é ela quem dá base à comunicação entre integrantes de projetos, que é ainda mais importante quando se atua remotamente. É comum, inclusive, iniciar e encerrar o dia com algum e-mail, mensagem pelo Slack ou Rocket Chat e conferência por algum aplicativo em vídeo como Zoom ou Discord com reports ou atualização de status de cada demanda.

6. O ambiente conta muito para o desempenho

Trabalhar à distância é bastante cômodo, porque permite a criação de um escritório confortável para se programar, desenhar ou gerir pessoas envolvidas em um projeto de TI. Para além de aconchego, o ambiente de trabalho deve ser bem equipado, com mesa, cadeira, computador, cadernos e livros, além de uma conexão estável, rápida e segura à internet. Decorar a sua mesa também vale. Lembre-se que você vai passar boa parte do seu dia nesse espaço, daí a importância dele (que pode ser convertido eventualmente em um coworking ou um café) para a sua performance.

Leia também: Saiba como conquistar vagas de trabalho remoto no mercado de desenvolvimento de software

7. Não se pode negligenciar burocracias

O trabalho de programador(a) home office, principalmente naqueles casos em que as pessoas atuam de forma independente em projetos, exige que se trate de contabilidade e outras questões burocráticas em paralelo às atividades técnicas diárias. É preciso, portanto, conciliar o cuidado com a própria carreira, inclusive com a prospecção regular de jobs e clientes, além de zelar pela própria marca, que é você. Na Impulso Network, é mais simples dar conta de tudo isso, porque em um mesmo espaço é possível candidatar-se a oportunidades, fazer networking e ainda ter acesso a benefícios de empresas que auxiliam em obrigações financeiras.

8. Pode demorar um tempo até você se adaptar

Às vezes, não é do dia para a noite que a adaptação ao trabalho de programador(a) home office chega. Afinal, é um modelo bastante diferente daquele tradicional.

Por isso, disciplina e foco são imprescindíveis.

Experimente estabelecer rituais para se acostumar mais rapidamente, como o de levantar-se sempre no mesmo horário, alimentar-se, praticar uma atividade física e só então ligar o computador, além de planejar as atividades sempre no dia a anterior.

9. Shit happens (almost) all the time

Não tem jeito: tem dias que você vai se distrair com o animal de estimação, vai passar mais tempo no horário de almoço porque inventou de ir ao mercado ou vai se estressar com instabilidade na conexão à internet. Isso faz parte da rotina de grande parte das pessoas que conhecemos e que trabalham remotamente. Aos poucos, você saberá como contornar cada uma dessas situações até chegar o momento que elas se tornarão mais raras ou terão menor impacto no seu rendimento.

10. Dá pra ser junior e trabalhar remoto, sim!

Você pode iniciar a carreira com um trabalho de programador(a) home office mesmo se estiver começando, diferentemente do que muita gente pode pensar. Isso porque o formato exige disciplina e foco, independentemente do nível profissional. Outras soft skills também são demandadas na atuação remota, como autonomia e responsabilidade, mas nem toda pessoa sênior tem, o que torna a prática possível para todo mundo.

Leia também: Conheça o Atena: um projeto open source de gamificação da Impulso

Você concorda com os 10 fatos sobre a rotina de quem trabalha com tecnologia de casa que destacamos acima? Acrescentaria ou retiraria algo? Comente abaixo.