Você usa TypeScript? Ou faz parte do grupo de pessoas desenvolvedoras que possuem medo de utilizá-lo? Se é do segundo time, atenção: você pode estar perdendo oportunidades incríveis em suas atividades no dia a dia.

Trazemos aqui algumas das principais reflexões que o William Grasel (desenvolvedor web, Google Developers Expert e coordenador do AngularSP) compartilhou conosco em uma talk incrível, que tivemos aqui na Impulso, sobre TypeScript. Vamos juntos neste processo? 🚀

Por que as pessoas têm medo do TypeScript?

Fato é: muitas pessoas ficam muito relutantes em incorporar TypeScript com JavaScript, criando um verdadeiro medo de seu uso. Muitos especialistas argumentam:

“Ah, mas já tentaram fazer isso no ES4 e não deu certo”.

Mas, afinal, quem disse que foi isso o responsável pelos problemas do ECMAScript 4? Ele também tinha uma série de problemas presentes ali que foram responsáveis pelo seu fracasso, como diversos bugs e falhas de retrocompatibilidade – uma falha vital para projetos de JavaScript.

Fato é que temos, desde então, novas tentativas de tipagem. Por exemplo:

  • Google Closure Compiler + JSDocs (tipagem na própria documentação);
  • ECMAScript Typed Objects Proposal (proposta para retorno da tipagem, mas ainda está em passos iniciais e lentos para este fim);
  • Web Assembly + SIMD.js (possui tipos de baixo nível);
  • Microsoft TypeScript;
  • Facebook Flow.

O que é o TypeScript?

O que é TypeScript

O TypeScript surgiu pela Microsoft, em formato Open Source. O Typed Superset possui algumas especificações importantes, tais como:

  • Todo JavaScript válido deve ser um TypeScript válido, ou seja, não pode ter itens que conflitem diretamente com a linguagem. Ou seja, não precisa aprender uma linguagem nova;
  • Ele promete ser fiel ao futuro do ECMAScript;
  • Todas as features extras são estritamente opcionais, ou seja, você não é obrigado a usar nenhuma delas;
  • Funciona como Transpiler (transcrição de um JavaScript moderno com todas as switchers e transpila para uma versão mais antiga) e Bundler (uso de vários arquivos, unificando-os em poucos arquivos, a fim de fazer um download mais inteligente na máquina do usuário), como Babel;
  • Edita seu código o mínimo possível ao transpilar;
  • Focado no ferramental e análise estatística de código;
  • Facilita o refactor e o crescimento de grandes bases de código.

Quem está usando TypeScript?

TypeScript quem está usando

Enquanto há muitas pessoas desenvolvedoras que estão relutantes no uso do Type, outros estão investindo pesado para seu uso. Entre eles:

  • Google (é uma das 5 linguagens oficiais);
  • Empresas como Airbnb, Reddit, Paypal Lyft, que realizaram ou estão realizando a migração de JavaScrip para TypeScript;
  • Há registros de mais de 200 mil projetos cadastrados Open Source no Github que utilizam Type;
  • Frameworks Web, como Angular, Ember, Vue, Aurelia, Cycle.js;
  • Frameworks Mobile, como Ionic, NativeScript;
  • Desktop Apps, como VS Code, Slack.

Assim, é uma das linguagens mais amadas por pessoas desenvolvedoras 🧡, segundo Stack Overflow Survey.

Então, como perder o medo do TypeScript?

Diante disso, o William Grasel propõe 5 passos que tornarão o seu conhecimento sobre Type mais suave, evitando processos traumáticos. Are you ready?

  1. Purista: você pode usar JavaScript/ECMAScript puro, sem tipar nada, sem usar nenhuma feature. Seu uso será semelhante ao Babel para transpilling e bundling da sua aplicação. Também não é preciso usar a extensão .ts, podendo utilizar .js, .jsx, .vue, entre outros. Com isso, você ganha em IntelliSense e inferência de tipos
  2. Introdutório: comece a tipar algumas variáveis de entrada e saída de funções. Deixe o TypeScript te ajudar, oferecendo informações extras;
  3. Intermediário: comece a criar e implemente interface de dados, o que permite ganhar ainda mais IntelliSense e garante proteção de grandes estruturas de dados. Importante lembrar que trata-se de interface de dados, e não de objetos, por isso não se assemelha a #C ou Java;
  4. Avançado: passe a navegar por features mais avançadas. Então entenda e aproveite ao máximo os tipos “genéricos”. Conheça o conteúdo de um Array, Promisse ou um Observer antes mesmo de executarem;
  5. GodMod: comece a ativar todas as flags de segurança disponíveis, bem como mantenha-se agindo de forma segura.

Com esses passos, você consegue fazer uma aproximação do TypeScript e perder o medo de utilizá-lo sem receios. Aproveite essas dicas imperdíveis do William Grasel e não deixe as oportunidades passarem devido a isso! 

Curtiu o conteúdo e quer saber mais sobre este tema?
🎬 Confira o que rolou nesta super talk! ⬇

Show CommentsClose Comments

Deixe seu comentário