Como você já deve ter percebido, as vagas de trabalho no setor de Tecnologia da Informação (TI) estão concentradas nas capitais brasileiras. Um levantamento do buscador de empregos Adzuna confirmou a expectativa ao indicar que São Paulo (SP) lidera o ranking nacional com 27% das oportunidades abertas para desenvolvedores e desenvolvedoras, seguida do Rio de Janeiro (RJ), com 12%, e de Porto Alegre (RS), com 10%. Por questões pessoais, nem sempre os profissionais desejam estar nos grandes centros urbanos, optando por trabalhar de casa ou de qualquer lugar (como em um coworking ou viajando pelo mundo) para empresas que contratam times de desenvolvimento remotos.

São pessoas que conseguiram, a partir de comunidades como a Impulso Network, encontrar oportunidades que possibilitam o alinhamento entre trabalho e propósito individual, como estar mais próximo à família, viver em uma cidade com custo menor ou ter mais qualidade de vida. Contudo, para trabalhar de casa para corporações localizadas a quilômetros de distância é preciso mais do que uma boa conexão à internet. Isso porque os profissionais que optam por este caminho e são bem sucedidos acabam se tornando empresários de si mesmos, já que devem saber posicionar-se no mercado de trabalho para escolher os projetos que mais lhe agradam, precisam gerir o próprio tempo e entregas, fazer a própria contabilidade, dentre outras tarefas.

Abaixo, destacamos 6 recomendações para quem deseja encarar o desafio de trabalhar de casa e olhar para si como alguém que vai gerir a própria carreira como uma empresa. Veja:

Como profissionais de ti podem trabalhar de casa

Avalie o seu emprego atual

Caso esteja empregado em uma empresa tradicional, pense se bater o ponto todos os dias no escritório é algo que lhe agrada. Você não gostaria de, por exemplo, ter mais flexibilidade de horários? Ou, ainda, de poder trabalhar de casa e não ter de enfrentar o trânsito diariamente para, finalmente, participar de um projeto que faça sentido dentro da sua visão de mundo?

Esses são os desejos de inúmeros profissionais que têm repensado as próprias carreiras e migrado para outro modelo (do Futuro do Trabalho), principalmente na área de TI. Ao trabalhar de casa para empresas que contratam especialistas para atuar em projetos sob demanda, é possível organizar a rotina conforme interesses pessoais, como estar livre às 17h para buscar as crianças na creche. Como resultado, há mais prazer envolvido no trabalho.

Também é comum encontrar mais espaço para críticas construtivas acerca da solução desenvolvida e, consequentemente, há maior autonomia e aprendizado em projetos com esse perfil quando comparados aos empregos convencionais. Portanto, é válido comparar este cenário àquele que frequenta hoje em dia e decidir de que forma pretende continuar na carreira.

Conheça outras possibilidades de atuação

Trabalhar em times internos de desenvolvimento está longe de ser a única opção para quem atua na área de TI. Ao optar pela carreira autônoma, é possível trabalhar de casa em equipes compostas por profissionais com as mais variadas habilidades e níveis de conhecimento. Essas pessoas, por sua vez, desenvolvem tecnologia para praticamente todos os segmentos do mercado, desde a saúde, passando pelo turismo e chegando até o mercado financeiro, por exemplo.

Torna-se mais simples, dessa forma, encontrar um trabalho que esteja em conformidade com o propósito pessoal e profissional de cada pessoa.

Para trabalhar com o que gosta, acredita aplicar completamente as suas habilidades e competências em projetos de software que utilizam as linguagens e frameworks mais modernos, faça parte de redes específicas como a Impulso Network. Comece a interagir nesses espaços para saber se é isso o que deseja para si.

Tenha uma reserva financeira

Se optar por fazer a transição entre um emprego convencional e a atuação em projetos sob demanda, prepare-se financeiramente. Construa uma poupança para passar por este momento, que não deixa de ser de investimento em você mesmo(a), sem sobressaltos. Lembre-se: qualquer empresário ou empresária teria essa preocupação no momento de investir em algo ou alguém.

Defendemos isso, porque no início você pode ter receio de não conquistar uma vaga logo de cara ou de não conseguir engatar uma iniciativa na outra. Com o orçamento garantido por três meses em média, por exemplo, poderá escolher melhor com o que quer trabalhar. Depois, quando sentir-se mais estável, mantenha e até incremente essa reserva, já que as oportunidades não irão faltar ao passo em que haverá a exigência constante de aprimoramento.

Formalize-se enquanto microempresário

Quando decidir pela carreira solo e trabalhar de casa de projeto em projeto, não se esqueça de buscar a formalização. Sendo assim, nossa orientação é para que você, junto ao Sebrae, seja um microempresário (ME), já que a condição de microempreendedor individual (MEI) não contempla de forma tão específica a atividade econômica de desenvolvimento de software.

Além disso, um ME tem limite de faturamento maior do que MEI, que é logo atingido pelas pessoas desenvolvedoras em um mercado tão pujante como o nosso. Abrir uma microempresa é importante tanto por garantir segurança ao profissional, quanto por permitir a emissão de notas fiscais, o que é demandado por todas as empresas que contratam times remotos de desenvolvimento.

Se as burocracias te assustarem, saiba que é possível contar com o apoio de empresas de contabilidade online. Aqui na Impulso Network, nós recomendamos a Agilize, que é focada em empresas de serviços. De forma descomplicada, eles ajudam todos os Impulsers (que têm desconto exclusivo) por ser um benefício de quem integra a comunidade.

Organize a sua casa ou pesquise algum coworking

Para trabalhar de casa, é preciso infraestrutura. Afinal, é fácil distrair-se com a família, o sofá ou o animalzinho de estimação. Separe um cômodo que servirá de escritório e equipe-o com uma mesa, uma cadeira confortável e tudo mais que julgar necessário para codar bem.

trabalhar de casa

Caso não possua uma boa internet, avalie a possibilidade de trabalhar a partir de um coworking. Nesses espaços, além de ser possível fazer networking, há uma infraestrutura completa para profissionais independentes atuarem. Se estiver fora do seu orçamento, avalie a possibilidade de frequentar um escritório compartilhado quando tiver alguma reunião, por exemplo, e pague por hora ou pelo dia trabalhados.

Invista em branding pessoal

Levando em consideração a possibilidade de ser empresário(a) de si mesmo, é fundamental investir na sua marca, que neste caso é a sua própria imagem, para trabalhar de casa e conquistar projetos de software que considera atrativos.

Crie um site, por exemplo, para demonstrar em quais projetos você já atuou e quais linguagens ou frameworks domina. Tenha presença consistente em redes sociais, como o Twitter, e profissionais, a exemplo do LinkedIn. Uma dica que pode parecer simples, mas que se mostra bastante efetiva está relacionada à foto de perfil: utilize a mesma imagem em diferentes canais, desde que ela demonstre profissionalismo.

Nesse modelo de trabalho, é de extrema importância saber se portar em encontros presenciais e online, além de dominar as técnicas para “vender” o próprio trabalho. Isso tudo vai bem se você construir e manter uma boa reputação de si mesmo, além de saber externá-la aos recrutadores, às pessoas e às empresas interessadas em contratar os seus serviços.

Tem outra dúvida sobre como é possível trabalhar de casa e gerir a própria carreira? Será um prazer lhe ajudar. Para isso, escreva no espaço dos comentários.