“Vou falar para a pessoa responsável por SEO destacar esse trechinho para aparecer na posição zero do Google, vai atrair bastante tráfego e será sucesso!”

Se você, algum dia, já falou ou passou por isso: atenção! Construir um site pensando na indexação do buscador não é algo que se faz de uma hora pra outra, preenchendo metatags e atributos Alt. Tudo gira em torno da boa experiência do usuário, além, é claro, de um bom trabalho com as palavras-chave.

A propósito, não tem nenhuma forma de “separar um trechinho” para o Google colocar na posição zero. Isso aí é tarefa de quem trabalha com redação ou UX Writer, que, no conteúdo, respondem diretamente uma pergunta procurada no buscador.

Então, vamos entender o que você, como profissional de programação, precisa saber sobre SEO? 

Core Web Vitals

São os elementos de experiência de usuário que o Google considera ao qualificar um site e ranqueá-lo. Desde o seu lançamento, em junho de 2021, as Core Web Vitals são compostas por três métricas: LCP, CLS e FID (calma que, logo abaixo, entenderemos melhor essas siglas).

Junto a outros fatores, como navegação segura, mobile friendly, criptografia HTTPS e excesso de pop-ups, que prejudicam demais a experiência do usuário, as Core Web Vitals basicamente indicam quão proveitoso e agradável um site é para o visitante.

LCPLargest Contentful Paint (Velocidade de Carregamento)

O SEO pontua bem as páginas que carregam rapidamente o conteúdo principal. Em um blog, por exemplo, a postagem é o elemento mais importante, bem como é o que trouxe o usuário para aquele espaço. Se esse pilar não carrega da forma correta, a pessoa sai do site após uma experiência negativa — o que está longe de agradar o Google.

Isso nos leva ao próximo ponto, o CLS.

CLSCumulative Layout Shift (Estabilidade Visual)

Já acessou um site que, enquanto carregava, os elementos ficavam mudando de posição, orientação e tamanho? Ou então, você começou a ler um artigo e, do nada, a fonte mudou? Pior ainda: você estava lá no meio do conteúdo quando alguma coisa carregou no início da página e empurrou tudo para baixo.

Sem falar nos anúncios que ocupam o cabeçalho e o rodapé da navegação mobile. Dessa forma, tudo isso penaliza um site, pois, novamente, afeta a experiência do usuário. Aqueles que trabalham como devs precisam considerar a estabilidade visual ao lançar uma página com vários recursos e JavaScript.

FIPFirst Input Delay (Interatividade)

Relata quanto tempo leva para o usuário conseguir interagir com a página. Essas interações podem ser o preenchimento de um formulário, o clique em algum link ou dar o play em um vídeo ou áudio embedado, por exemplo.

SEO não é só meta descriptions e palavras-chave

Profissionais de programação cometem um erro quando, ao desenvolverem um site, deixam de lado as otimizações de SEO. Configurar uma página para que ela seja bem vista pelas ferramentas de busca é uma tarefa mais complexa do que, simplesmente, definir meta descrição e palavras-chaves do site.

Acabamos de falar sobre as Core Web Vitals, que fazem parte da otimização de SEO. Por mais que o layout do site contribua para a experiência do usuário, se o Google não tiver os indicadores de referência, não vai recomendar a página.

Por exemplo, o React veio para ficar e é excelente para agradar o visitante da página. Ele faz tudo carregar rapidamente e só isso é responsável por mais de 90% de retenção. Mas, o Google não interage com o site, de modo que verá uma página em branco se o conteúdo estiver escondido sobre alguma interação com JavaScript.

Depois, tornar o site amigável aos olhos do buscador se torna uma tarefa de retrabalho. Portanto, todo profissional de desenvolvimento web precisa elaborar a construção de um site em conjunto a um profissional de SEO e não deixar para fazer a otimização depois.

O SEO traz retorno em médio a longo prazo

Leva tempo até uma página ganhar autoridade entre os motores de busca, mesmo que esta tenha sido escrita já pensando nessa otimização. Por isso, não entre em desespero se o tráfego orgânico do seu projeto recém lançado estiver inconsistente.

Da mesma forma, as alterações de ajuste de SEO levam um tempo até “impressionarem” o Google e fazê-lo perceber como o site está agora. Como pode ver, trabalhar pelo top 3 das buscas não é como girar uma chavinha e fim de jogo!

Fizemos um meetup incrível falando sobre Growth e SEO, com Italo Aurelio e Samuel Vieira. O papo é pra lá de enriquecedor para toda pessoa que trabalha com programação, então recomendo que você o assista! 😃