Eu sou da linha que, em qualquer momento da nossa carreira, é importante fazer uma boa gestão financeira. Se você está começando e ainda não ganha aquela remuneração sonhada, dá, sim, para se organizar e começar a ganhar o que eu chamo de autonomia financeira. Mas, se você já está no grupo das pessoas desenvolvedoras que alcançaram a remuneração desejada e ainda sente certa ou muita desorganização, corra para melhorar.

Por mais que você ganhe bem na área tecnológica, sem uma boa gestão financeira para profissionais de TI, os seus rendimentos podem não bastar para manter o padrão de vida desejado. Além disso, dificuldades econômicas ou oportunidades também podem surgir.

Em outras palavras: não adianta ganhar bem sem controlar as suas finanças e gastar mais do que a sua renda. Para ajudar nisso, listamos três dicas que podem ser úteis. Acompanhe!

1. Anote todos os seus gastos

É bem difícil controlar o que você desconhece, não é mesmo? Então, a primeira coisa a fazer é levantar todas as suas contas e passar a anotar os seus gastos.

Registre até os mais simples. Afinal, ao serem somados, a tendência é que constituam um valor considerável. Isso é importante para que você possa identificar quais dessas contas podem ser reduzidas ou, até mesmo, cortadas. 

Para facilitar o processo, use um programa de controle de finanças ou uma planilha. Alguns Apps legais de organização financeira são o Organizze, o Orçamento Fácil e o Guiabolso.

Lembrando que é importante registrar as suas contas com certa frequência para não deixar passar despesas que podem afetar as suas economias. Portanto, tenha disciplina. Sim, respire. No início, é chato e você pode acabar desistindo. Uma estratégia que eu uso é evitar o dinheiro e passar a usar sempre um único cartão. Já resolve boa parte dos registros. 

2. Categorize seus gastos 

Para ter uma melhor gestão financeira para profissionais de TI, é fundamental dividir os seus gastos em categorias, segundo uma ordem de importância. Normalmente, isso é feito em três conjuntos: 

  • gastos essenciais;
  • necessários e;
  • supérfluos.

O primeiro grupo corresponde ao que você necessita para sobreviver. Dessa forma, alimentação, medicamentos e contas de consumo (energia elétrica, água, aluguel) entram nessa categoria.

Os gastos necessários são aqueles importantes, mas não fundamentais. Por exemplo, a mensalidade da academia, contas relacionadas ao uso de um carro e o pagamento de um plano pós-pago de telefonia celular. Bem, aqui é mega importante você avaliar o que é importante ou não para seu estilo de vida. 

Por fim, temos as contas supérfluas, isto é, as que podem ser removidas sem que causem tanto impacto no seu dia a dia. Por exemplo, almoços fora de casa. 

Especificamente no mundo de TI, a compra de equipamentos e gadgets de alto valor, desde que não sejam para trabalhos que demandam alto poder de processamento, também pode entrar nessa categoria. Ao entender quais as contas de cada grupo, ficará mais fácil lidar com elas e economizar. 

Aliás, você também terá como perceber certos hábitos que podem ser mudados, caso sejam negativos. Um exemplo é como administrar o seu tempo, que pode ser desperdiçado com questões supérfluas.

3. Substitua os gastos desnecessários

Os gastos necessários e supérfluos podem ser reduzidos ou cortados por meio de substituição. Dessa forma, dá para gerar uma boa economia.

Se considerarmos os exemplos de contas necessárias citadas, podemos proceder mudando de um plano na academia para um mais barato, por exemplo. Ou, então, usando transporte público em vez de carro e migrando para um plano pré-pago.

Em relação às despesas supérfluas, vejamos um exemplo na área de Tecnologia da Informação do que fazer. Afinal, é comum que profissionais de TI precisem investir em notebook e desktops mais robustos para trabalharem, desenvolverem projetos e se manterem atualizados.

Há situações em que investimos um valor alto em um equipamento potente e de última geração, mas o subutilizamos. Nesse caso, é indicado anotar as funções, objetivos e tarefas para o qual utilizará esse dispositivo.

Ahhh, ok, talvez você precise de um computador nível gamer. Não precisa desistir dele, apenas deixe essa aquisição para um momento financeiro melhor. 

A gestão financeira para profissionais de TI segue os princípios gerais do controle de finanças. Mas quando se está envolto em tecnologia, é interessante utilizar esse recurso para ajudar a pôr as contas em dia. Nesse caso, não esqueça de buscar softwares financeiros que auxiliem nesse propósito!

Já que estamos terminando, vou deixar a minha dica de ouro: sempre, sempre guarde um pouco do que ganha e guarde assim que receber a sua remuneração. Você pode começar com um valor pequeno e depois ajustar. 

Compartilhe estas dicas em suas redes sociais para que seus amigos ou colegas da área de TI possam descobri-las!