Não é novidade para ninguém que o turnover no setor de tecnologia é alto… Com empresas de grande renome competindo por esses profissionais, isso só piora ainda mais. Mas, o que você, ou as empresas, tem feito para contornar esta situação?

Aqui na Impulso, uma das coisas que a gente faz – e funciona – é ouvir!

Parece pouca coisa, mas quando você para e dá a devida atenção para aquela pessoa que trabalha com você, isso é significativo.

Não vale só dar feedback sobre o trabalho, procure entender quem é esta pessoa, o que faz o trabalho dela ser motivador… se você não decifrá-la, ela vai acabar desmotivada.

As motivações dessas pessoas é algo mais simples e acessível de conhecermos (quando há intenção e direcionamento para isso) do que a maioria pensa. Assim, o que me motivou (opa!) para escrever este artigo, na verdade, foi o desejo de compartilhar uma ferramenta bem legal que tem me ajudado muito a conhecer mais as minhas pessoas, chamada Moving Motivators. Apresento já, já!

É  um fato que, estimular as motivações pessoais do seu time (e saber o quanto elas estão em alinhamento com o propósito da empresa) interfere fortemente nos resultados e, obviamente, no ambiente de trabalho.

E você só pode ajudar a desenvolver algo que conhece, certo?! Então, é aí que entra a importância de abordar este assunto com intencionalidade, planejamento e seriedade. Mesmo que de forma descontraída! Afinal, há uma série de maneiras de avaliar a motivação, e eu sigo acreditando que o melhor é a abordagem multidisciplinar.

Pode ser, inclusive, através de dinâmicas interativas, bons e constantes one-on-one (1:1), criando e estimulando a proximidade ao longo da relação de trabalho e, graças à tecnologia, também através de recursos jogáveis!

Você já ouviu falar em Moving Motivators?

É uma das ferramentas mais bacanas que eu conheço sobre o assunto.

Trata-se de um jogo de cartas que, geralmente, é feito individualmente. Mas também pode ser aplicado como uma dinâmica de equipe — e foi inventado por Jurguen Appelo, fundador do Management 3.0. O método foca bastante nos desejos intrínsecos, ou seja, nos objetivos individuais de cada pessoa do time. Mas, também, há motivações extrínsecas.

Para isso, ele traz 🎴 cartões com os seguintes fatores: Curiosidade, Aceitação, Força, Parentesco, Objetivo, Honra, Maestria, Liberdade, Ordem e Status.

Como somos remotos, uso o Miro e criei a minha versão online do Moving Motivators.
A ideia é que cada pessoa organize seus motivadores do mais importante para o menos importante e, claro, é possível descartar ou criar outros que não estão na lista.

A partir da dinâmica, eu sempre converso com cada um para entender melhor cada escolha de carta e, também, me aproximar ainda mais das razões que os motivam.

Por último, vem a parte mais importante: entender como a Kari, gestora, e a Impulso, estão contribuindo para que os motivadores dessa pessoa sejam atendidos — ou não, né. Também é importante saber quais motivadores estamos deixando de lado no nosso dia a dia como time e como empresa.

Conhecer o que motiva as nossas pessoas é a melhor forma de avaliar o quanto nosso ambiente está alinhado com os propósitos delas.

E aí, é claro… Gente motivada traz melhores resultados e permanece por mais tempo!