Quais são os sete passos para atingir sucesso profissional? Bom, eu certamente não sei porque, ao longo dos anos, fui percebendo que receitas de bolo funcionam bem pra preparar bolos, mas não para construir profissionais que, antes de mais nada, são seres humanos, com todas as suas dimensões e complexidades.

Sou UX/UI Designer há uns bons 10 anos, e atuando nesta área que foca tanto em comportamento humano, pude aprender um pouco mais sobre o meu próprio comportamento. Sou do tipo de pessoa que planeja e organiza, e sempre pensei que ser uma boa profissional girava somente em torno disso: de planejar, produzir, aprender, produzir melhor e assim por diante.

Acontece que não somos seres bidimensionais como mostra nosso currículo ou perfil no LinkedIn. Somos humanos, e com nossas hard skills, vem junto nossa bagagem: nossas motivações, nossas dificuldades, nossa família e a nossa saúde. Tudo isso influencia no nosso lado profissional? Claro que sim, e aceitar isso é permitir-se viver uma vida muito mais leve.

Desistir pode até ser uma questão, mas não a solução

Houve um tempo em que acreditei que não queria mais trabalhar com Design. Hoje, compreendo que o que estava acontecendo era uma mudança pessoal grandiosa que mudou minha forma de enxergar a vida e o trabalho. Meu filho havia nascido há alguns meses e eu estava em uma empresa cujos valores não se alinhavam aos meus. Entendi, então, que a mudança necessária não era de profissão, mas de ambiente, já que entre pessoa e empresa a relação tem que ser harmônica, como uma via de mão dupla.

Somos acostumados à cultura do sofrer para crescer. Mas precisa ser assim? As segundas-feiras podem, sim, ser prazerosas se tivermos coragem de ouvir a intuição e seguir caminhos que nos façam sentir realizados verdadeiramente. Às vezes, aquele sentimento de “pedra no sapato” é tudo o que precisamos para mudar de direção e buscar novas formas de sermos quem somos, além de fazer o que nascemos para fazer.

Não existem “7 passos para o sucesso profissional”. Cada um sabe os sapatos que calça e é responsável por sua jornada. E tudo bem desistir de seguir o “caminho certo” (afinal, certo pra quem?).

Espero que sua jornada seja feita com gentileza e muito respeito ao seu momento pessoal, assim como aos seus valores e em equilíbrio com todas as outras áreas da sua vida. Trabalho é soma, não sacrifício.

Um brinde às segundas-feiras! 🥂

Show CommentsClose Comments

2 Comentários

Os comentários não estão habilitados para esse post